Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

VIROU GLEE?

Netflix transforma Cara Gente Branca em musical na 4ª temporada e irrita fãs

FOTOS: DIVULGAÇÃO/NETFLIX

Sam (Logan Browning) caminha e canta em um corredor da faculdade com outros alunos em cena da quarta temporada de Cara Gente Branca

Sam (Logan Browning) em uma das cenas musicais da quarta temporada de Cara Gente Branca

DÉBORA LIMA

debora@noticiasdatv.com

Publicado em 28/9/2021 - 6h25

A quarta temporada de Cara Gente Branca chegou à Netflix no último dia 22 e surpreendeu o público, mas negativamente. A última leva de episódios da série voltou como um musical e irritou os fãs, que fizeram comparações com Glee (2009-2015) e a franquia High School Musical.

O enredo da nova temporada transita entre o último ano dos personagens na faculdade em Winchester e um futuro pós-pandemia, no qual as pessoas enfrentam quarentenas constantes e já até se acostumaram a usar máscaras faciais de proteção.

É nesse cenário que Sam (Logan Browning) reencontra Lionel (DeRon Horton) no primeiro episódio. Mais velhos, os dois conversam sobre o período que passaram na instituição acadêmica. A trama mostra ainda que o rapaz lançou três livros sobre os acontecimentos vividos na faculdade --com os enredos equivalentes às temporadas anteriores da série.

Sam, então, tenta incentivar o colega a escrever um quarto volume abordando o Show de Variedades, peça feita pelos alunos no ano de formatura. A intenção dela é transformar tudo em uma série musical para a TV inspirada nos anos 1990. Lionel hesita e demonstra não gostar do formato, mas a protagonista o convence ao dizer: "Você é negro e gay, dois grupos conhecidos por cantar espontaneamente".

A partir de então, os dois relembram os acontecimentos do último ano e os preparativos da peça organizada por Troy (Brandon P. Bell). Mas tudo já sob a perspectiva musical, com personagens soltando a voz nos momentos mais aleatórios possíveis. Há pelo menos a vantagem de apreciar o talento vocal de Ashley Blaine Featherson, intérprete de Joelle.

Quando estreou em 2017, Cara Gente Branca chamou a atenção do público pelo teor crítico e por abordar assuntos importantes como racismo e privilégio branco. Mesmo ainda presentes na última temporada, essas temáticas acabam permeadas pelas várias canções.

Os números musicais tiram um pouco a seriedade e o aspecto mais pesado da trama. A sensação que fica é a de que a série se perdeu no meio do caminho e que a Netflix desperdiçou a oportunidade de ter encerrado a história quando ainda estava no auge.

Ashley Blaine Featherson canta na série

Internautas criticam nova temporada

Desde que os dez episódios finais da série foram disponibilizados no streaming, internautas passaram a reclamar da mudança do formato nas redes sociais e a fazer comparações com outras produções do gênero.

"Os roteiristas de Dear White People embarcaram na onda Glee. O povo andando no campus indo de uma aula pra outra cantando e dançando", escreveu Vitoria no Twitter. "Cara Gente Branca parece High School Music", apontou Jamal.

"Destruíram Dear White People mesmo, tô entendendo nada e nem consigo prestar atenção", reclamou Geogui. "Lançaram a 4ª temporada de Cara Gente Branca, mas é em forma de musical... Primeiro que eu já acho musical coisa de gente branca", soltou Vitinho.

"Eu me pergunto se o elenco de Dear White People está tão envergonhado quanto nós", imaginou Nwanne Nwanyi Amaka. "Quem disse 'vamos fazer um musical' na mesa da 4ª temporada de Dear White People precisa ser demitido", disse o usuário identificado como Nyhh.

Confira algumas reações na web:

Veja o trailer da quarta temporada de Cara Gente Branca:


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Outubro Rosa: Conheça cinco famosas que venceram o câncer de mamaAlém de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na políticaApós derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreramEsqueceram de Mim ganha novo filme no Disney+; veja como está o elenco original

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas