Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
X
Instagram
Youtube
TikTok

SE DECLAROU PRETO

Matteus Amaral é acusado de fraudar cota racial para entrar em faculdade

DIVULGAÇÃO/TV GLOBO

Matteus Amaral sorri sem mostrar os dentes em foto de divulgação da Globo

Matteus Amaral: vice-campeão do BBB 24 é colocado contra a parede sobre sistema de cotas

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 13/6/2024 - 20h47

Matteus Amaral teria se declarado negro para conseguir uma vaga no curso de Engenharia Agrícola do IFFar (Instituto Federal Farroupilha). Antes de entrar no BBB 24, o gaúcho acompanhava as aulas no campus de Alegrete e trabalhava nas terras da família. Ele, até agora, não se pronunciou sobre as acusações.

Notícias da TV apurou que existem dois editais do IFFar referentes a 2014. Em ambos os documentos, Matteus Amaral Vargas se declara como "preto" --as informações dos candidatos são descritas ao lado do nome por conta do sistema de ações afirmativas.

No resultado preliminar, publicado em 17 de janeiro de 2014, ele foi desclassificado por zerar a redação. Em outro edital, de 7 de fevereiro daquele mesmo ano, Amaral apareceu como um dos candidatos aceitos para uma vaga no curso de Engenharia Agrícola por meio das cotas raciais.

O vice-campeão do BBB 24 disse que estudou apenas até o quinto semestre do curso de Engenharia Agrícola. Ele precisou trancar a matrícula para cuidar da avó, que estava doente.

A Lei de Cotas do Brasil foi sancionada em 29 de agosto de 2019 pela então presidente Dilma Rousseff (PT). O código dá oportunidades para grupos de candidatos pretos, pardos, indígenas, pessoas de baixa renda e pessoas com deficiência no ensino superior, como resposta à desigualdade histórica de acesso à educação no país.

Notícias da TV procurou Matteus Amaral via assessoria de imprensa, mas não houve resposta até a publicação desta reportagem. O texto será atualizado caso o ex-BBB se pronuncie sobre o assunto.


Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.