5 ANOS DA SÉRIE

Plágio, rejeição e casal
no set: Cinco curiosidades
de Stranger Things

O tempo voa
Já se passaram cinco anos desde a
estreia de Stranger Things. A série,
que já está em sua quarta temporada,
se passa nos anos 1980 na cidade
fictícia de Hawkins, Indiana.
Lá, um grupo de amigos descobre
forças sobrenaturais e busca
desvendar os mistérios que
assolam a região. Veja cinco
curiosidades da produção:

Rejeitada
Apesar de ter sido muito bem aceita pelo público, a
série quase não foi gravada. Os criadores, Ross e Matt
Duffer, tiveram seu projeto recusado diversas vezes.
#1
Até a Netflix dar uma chance para
a produção, a série foi rejeitada
por cerca de 15 a 20 emissoras.
Enganação?
Os criadores tiveram mais uma dor de
cabeça ao lançarem a série. Ross e Matt
foram acusados de plágio duas vezes. A
primeira em 2018 e a segunda em 2020.
#2
O primeiro processo, movido por Charlie
Kessler, foi interrompido, já que o cineasta
desistiu de dar continuidade à acusação.
Já na segunda vez, a empresa Irish Rover
Entertainment alegou que a série foi
plagiada de um roteiro chamado Totem.
Exigentes
Não foi fácil chegar ao elenco tão amado pelo público.
Para os papéis dos garotos Mike (Finn Wolfhard),
Will (Noah Schnapp), Dustin (Gaten Matarazzo) e
Lucas (Caleb McLaughlin) houve mais de 900 testes.
#3
Já para o papel de Eleven,
interpretada por Millie Bobby Brown,
mais de 300 garotas foram avaliadas.
Tanque misterioso
Na primeira temporada, Eleven aparece flutuando
em um tanque cheio de água. Entretanto, para
a cena acontecer, foram necessários cerca de
500 quilos de sulfato de magnésio.
#4
Da ficção para a vida real
Nancy e Jonathan formam um dos casais da
trama. Os atores Natalia Dyer e Charlie Heaton
se conheceram durante as gravações da série.
#5
Eles começaram a namorar na vida real,
mas mantiveram o relacionamento em
segredo. Hoje em dia, já assumidos, os dois
confessaram que gostam de trabalhar juntos.

15.7.2021

E-MAIL
contato@noticiasdatv.com

IMAGENS
Tenor
Divulgação/Netflix
Reprodução/Instagram
Reprodução/Youtube

EDIÇÃO
Tamires Baldessin

TEXTO
Isabel Mello

FICHA TÉCNICA