REPRESENTATIVIDADE

Oportunidade de brilhar:
Cinco PCDs que atuaram
na TV brasileira

As gravações de Um Lugar ao Sol estão a
todo vapor. Além de nomes conhecidos
como Cauã Reymond e Alinne Moraes, o
folhetim irá apresentar a atriz Samanta
Quadrado, jovem com síndrome de Down.
A busca por oportunidades pelos
PCDs é diária e incansável e, ainda
que exista um longo caminho a ser
percorrido, algumas atrizes brasileiras
com deficiências já brilharam na TV.
Veja cinco PCDs que
atuaram na TV brasileira

Joana Mocarzel
Aos 7 anos, a atriz interpretou Clarinha em
Páginas da Vida (2006). Depois, ela ainda
participou do documentário Do Luto à Luta,
feito pelo seu pai, o cineasta Evaldo Mocarzel.
Apesar de ter trabalhado apenas
na trama de Manoel Carlos, Joana
é lembrada até hoje pelos noveleiros.
Tatá Cordazzo
Com deficiência auditiva, Tatá já atuou em
duas novelas: Tempo de Amar (2017) e
Malhação - Toda Forma de Amar (2019).
Ela nasceu prematura e descobriu a surdez
ainda criança. Sempre sonhou em fazer
novelas e, desde os cinco anos, faz uso
de aparelho auditivo.
Juliana Caldas
Atriz com nanismo, Juliana viveu Estela, jovem
rejeitada pela mãe por ser anã, em O Outro
Lado do Paraíso (2017). Ela ainda trabalha
em peças teatrais e como modelo de fotos.
 Estou muito feliz e esperançosa 
  para que a novela dê essa visibilidade 
  e respeito à pessoa com nanismo 
  e com algum tipo de deficiência" 
Afirmou Juliana em entrevista ao Gshow.
Danieli Haloten
Primeira deficiente visual a atuar em uma novela,
a atriz deu vida a Anita em Caras e Bocas (2009).
Formada em Jornalismo e Artes Cênicas, ela nasceu
com glaucoma e perdeu a visão gradativamente.
Depois da trama de Walcyr Carrasco, seu rosto
não foi mais visto na TV. Entretanto, Danieli realiza
palestras, além de ter publicado o livro Uma Viagem
no Escuro e trabalhado em algumas peças teatrais.
Manuela Trigo
Primeira atriz mirim com paralisia cerebral
a participar de uma série da Globo, Manu
interpretou Gabi, neta de Miguel (Luiz Carlos
Vasconcellos) em Aruanas (2019).
Ela foi diagnosticada aos sete meses e
hoje, aos 14 anos, representa um marco
 importante na teledramaturgia brasileira.

E-MAIL
contato@noticiasdatv.com

IMAGENS
Reprodução/Instagram
Reprodução/Memória Globo
TV GLobo/ Raquel Cunha e
Renato Rocha Miranda

EDIÇÃO
Tamires Baldessin

TEXTO
Isabel Mello

FICHA TÉCNICA

14.6.2021