NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Zezé Di Camargo se defende após criticar comoção por morte de Marielle Franco

O cantor Zezé Di Camargo durante participação no Ding Dong, do Domingão do Faustão -

O cantor Zezé Di Camargo durante participação no Ding Dong, do Domingão do Faustão

REDAÇÃO - Publicado em 25/03/2018, às 18h27

Durante participação no quadro Ding Dong, do Domingão do Faustão deste domingo (25), Zezé Di Camargo aproveitou o palco da Globo para se defender dos ataques que sofreu na internet após criticar a comoção causada pela morte da vereadora Marielle Franco, assassinada no Rio de Janeiro no último dia 14. "Feio é o artista que fica atrás do muro", disse o sertanejo.

Em texto compartilhado em suas redes sociais, o cantor comparou a comoção causada pelo crime contra Marielle com a morte da médica Gisele Gouvêa, em 2016, em uma tentativa de assalto.

Segundo o texto, de autoria desconhecida, a morte de Gisele, que levou dois tiros na cabeça, em junho de 2016, em um acesso à Linha Vermelha, no Rio de Janeiro, não chamou atenção pois "não preenchia os requisitos para uma mobilização nacional".

"Embora mulher, não era negra, não era pobre, não era feminista, não era militante de partidos políticos, não frequentava os círculos LGBT, não era MTST, CUT ou PSOL, não estava dentro dos programas de assistências de cotas do governo", dizia a publicação compartilhada pelo sertanejo.

Questionado por Faustão sobre a polêmica provocada pelo post, Zezé explicou que o texto sequer cita o nome de Marielle. "Jamais eu seria ignorante ou desprezível a ponto de ignorar uma morte. O que eu quis mostrar é que, por trás da morte da menina, que era uma lutadora, estavam transformando em um palanque político".

Zezé Di Camargo postou em seu Instagram uma crítica à comoção por Marielle: "Transformar uma barbárie em politicagem, não!", escreveu o sertanejo

O sertanejo ainda ressaltou que nunca foi de se esconder em momentos decisivos e que tem consciência de que suas opiniões não agradam a todo mundo. "Eu gosto sempre de contestar o óbvio. Feio é o artista que fica em cima do muro para não se indispor com ninguém", alfinetou.

Faustão se manifestou sobre o caso e tentou relativizar a crítica de Zezé. "Não importa se você concorda ou não com a ideologia dela [de Marielle]. Que democracia é essa? O mínimo que você precisa é segurança de ir e vir", declarou.

Luciano Camargo também se pronunciou sobre o caso e alegou que prefere seguir uma postura mais contida que a do irmão. "Quando a gente emite uma opinião, sabe que pode vir chumbo. Ainda mais nessa época de internet. Eu prefiro ficar de lado, mas o Zezé não consegue", disse ele. 

Na sequência, a cantora Iza foi se apresentar e Faustão voltou a perguntar sobre a morte de Marielle. "Tem que provocar o que está provocando mesmo, senão não vale nada", cutucou o apresentador.

"A Marielle era uma mulher que nunca se calou. E eu acho que a gente tem que fazer barulho mesmo, não se calar", respondeu a carioca, uma das revelações da música.

 

 

Enquete

Qual protagonista de Deus Salve o Rei você mataria?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook