NO CONEXÃO REPÓRTER

Um ano depois, vítima diz a Cabrini que tem dúvida sobre estupro coletivo

Divulgação/SBT

O jornalista Roberto Cabrini entrevista a jovem vítima de estupro coletivo: identidade oculta - Divulgação/SBT

O jornalista Roberto Cabrini entrevista a jovem vítima de estupro coletivo: identidade oculta

REDAÇÃO - Publicado em 13/07/2017, às 17h19 - Atualizado em 14/07/2017, às 17h41

Um ano e dois meses depois do que seria o pior caso de estupro coletivo já registrado no continente, a jovem que declarou ter sido violentada por 33 homens diferentes na favela Morro do Barão, no Rio, fala sobre o crime com o jornalista Roberto Cabrini. Na entrevista, que vai ao ar domingo (16) no Conexão Repórter, do SBT, a vítima volta atrás e diz que não tem como saber se foi atacada por tantas pessoas.

Ela alega que não tinha condições de contar pessoas durante o abuso. "Acho que não foi essa quantidade de pessoas", admite. "Menos pessoas?", questiona Cabrini, que recebe uma confirmação da jovem. "O que teria feito você aumentar?", ele continua. "Porque estava todo mundo falando 33", responde. "Quer dizer que não foram 33?", questiona Cabrini. "Que eu saiba, não", finaliza.

Na conversa, a jovem também fala que, na época do estupro, se culpava pelo ocorrido. "Eu me sentia muito culpada", diz ela, que foi atacada ao sair de um baile funk no Morro do Barão, comunidade dominada pelo crime organizado. Na festa, ela e amigos teriam ingerido bebidas alcoólicas e consumido maconha.

Desacordada, foi encontrada por um traficante, o primeiro a estuprá-la. "Agora, eu não me sinto mais assim [culpada], hoje eu sei que a culpa não é minha", indica.

A conversa com o jornalista marca um reencontro para a jovem: no ano passado, ele foi o primeiro a entrevistá-la sobre o crime, apenas um dia depois da noite em que foi violentada. Atualmente, ela vive fora do Rio e seu nome é mantido sob sigilo.

Com um filho de 4 anos, ela diz que precisa de muita força para conseguir seguir em frente. "Eu acho que força não é só fisica, é emocional também; e minha força emocional hoje em dia está muito forte, graças a Deus", revela.

Na conclusão do inquérito, sete pessoas foram indiciadas pela polícia por suas participações no estupro coletivo e na divulgação das imagens pela internet. A jovem defende a ação policial, apesar de muitos envolvidos estarem soltos.

"Não há o que a polícia fazer, vai fazer mais o quê? Vai trancar o Rio de Janeiro todo para achar essas pessoas? Não existe isso. Não se sabe nem quem foi. Então, pra mim, não há muito o que a polícia fazer. Fez o que estava na altura dela", minimiza.

Escondida para não ser encontrada por traficantes, a jovem, que recentemente completou 18 anos, conta a Cabrini que a tragédia a deixou mais madura:

"Eu comecei a dar valor para quem me ama de verdade, porque eu estava ali me divertindo mas ninguém queria o meu bem. Hoje, eu sei que meu filho vai querer meu bem, se acontecer alguma coisa ele vai estar comigo, minha mãe vai estar comigo", diz. "Eu comecei a dar valor pra quem está comigo do meu lado."

O Conexão Repórter vai ao ar após o Programa Silvio Santos, por volta da meia-noite.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

GNT erótico

Imagem da propaganda de Desnude, que propõe: 'Não manda nudes. Manda texto' - Reprodução/GNT O GNT quer ouvir histórias eróticas de suas telespectadoras e transformá-las em uma série. O canal está desenvolvendo o projeto Desnude, que terá dez episódios: nove de ficção, baseados em depoimentos sobre sexo enviados pelo ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Qual é a solução para o drama de Alice em Os Dias Eram Assim?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook
Click Click