REPRESENTATIVIDADE

Sete transexuais que abriram portas para a Ivana de A Força do Querer

Reprodução/TV Globo

Ivana (Carol Duarte) chama a atenção em A Força do Querer por não aceitar o próprio corpo - Reprodução/TV Globo

Ivana (Carol Duarte) chama a atenção em A Força do Querer por não aceitar o próprio corpo

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 29/05/2017, às 05h23

Uma das personagens mais interessantes de A Força do Querer, Ivana (Carol Duarte) tem gerado debates e feito o público da novela refletir sobre a transexualidade. Mérito da atriz, que estreia na televisão com uma interpretação forte, e também da autora Gloria Perez, que conduz aos poucos a trama da personagem presa em um corpo que não reconhece.

Mas, se Ivana hoje tem espaço de destaque no horário mais nobre da TV brasileira, ela deve sua exposição a outros personagens transexuais que vieram antes. Afinal, não é necessário voltar muito no tempo para lembrar que o mesmo público que hoje abraça Ivana rejeitou um casal de lésbicas de terceira idade em Babilônia (2015).

Confira sete trans da ficção que abriram portas para a personagem de Carol:

Arquivo/Memória globo

Claudia Raia interpretou o mulherão Ramona, que antes de mudar de sexo se chamava Ramon

As Filhas da Mãe - Ramona
Exibida entre 2001 e 2002, a novela As Filhas da Mãe tinha um elenco de peso e uma trama moderna demais para sua época. Entre as inovações inseridas por Silvio de Abreu estava Ramona (Claudia Raia), que nasceu Ramon mas fez a cirurgia de mudança de sexo após ir morar em Paris para tentar a carreira como estilista.

Filho de um machão convicto, Ramon sofria com o preconceito do pai durante a infância, já que seu jeito afeminado não era aceito. Depois da transformação, Ramona passou a sofrer com a desconfiança das irmãs Tatiana (Andréa Beltrão) e Alessandra (Bete Coelho), que não acreditavam que o irmão tinha se transformado e achavam que a mulher era uma golpista.

reprodução/tv globo

Fabrícia (Luciana Paes) teve seu segredo revelado após ser vista durante troca de roupa

Fina Estampa - Fabrícia
A equipe de "maridas de aluguel" de Griselda Pereirão (Lilia Cabral) contava com mulheres de todos os tipos, da gata Deborah (Ana Carolina Dias) à gordelícia Zélia (Sylbeth Soriano). O time tinha até uma mulher que ainda nem era mulher, Fabrícia (Luciana Paes).

Transexual, a personagem teve seu segredo descoberto por Quinzé (Malvino Salvador), que entrou no vestiário e acabou vendo que Fabrícia tinha partes masculinas. Acuada, ela contou que estava na fila do SUS para fazer a cirurgia de mudança de sexo e tomava hormônios para ficar mais feminina.

Reprodução/tv globo

Janette (Maria Clara Spinelli) tentou esconder a transexualidade dos colegas de confinamento

Supermax - Janette
Transexual também na vida real, a atriz Maria Clara Spinelli chamou a atenção na série exibida no ano passado: ela interpretou Janette, uma das confinadas no presídio povoado por mistérios e criaturas sobrenaturais. Em um dos episódios mais tensos do programa, Luisão (Bruno Bellarmino) descobriu que a colega era trans e a agridiu física e verbalmente.

Janette não foi o primeiro papel transexual de Maria Clara: antes, ela havia participado de Salve Jorge (2012) como Anita, uma mulher operada que foi traficada com Morena (Nanda Costa) para a Turquia. Atualmente, participa de A Força do Querer como Mira, uma mulher cisgênero _ou seja, biologicamente do sexo feminino.

divulgação/abc

Modelo antes de virar atriz, Rebecca Romijn emprestou sua beleza para a trans Alexis na série

Ugly Betty - Alexis
Baseada na novela colombiana Betty, a Feia (1999), a série Ugly Betty não hesitava em fazer grandes revelações e reviravoltas ao longo de seus 85 episódios. Uma das mais surpreendentes foi na metade da primeira temporada, quando Alexis (Rebecca Romijn) retirou as bandagens de seu rosto e se revelou para a vilã Wilhelmina (Vanessa Williams).

Alexis, anos antes, era Alexander, irmão mais velho do editor da revista Mode, Daniel (Eric Mabius). O jornalista já tinha contado para a secretária, Betty (America Ferrera), que Alexander tinha morrido em um acidente de esqui. Fora de circulação enquanto todos achavam que estava morto, Alex fez cirurgias para readequar seu gênero e assumiu a nova identidade.

divulgação/netflix

Laverne Cox foi a primeira transexual a ser indicada ao Emmy por sua atuação como Sophia

Orange Is the New Black - Sophia
Transexual fora da ficção, Laverne Cox dá vida à prisioneira Sophia Burset da série Orange Is the New Black, da Netflix. Presa por uma fraude com cartões de crédito (que ela só cometeu para ter dinheiro para pagar sua cirurgia), Sophia contou com o apoio da mulher, Crystal (Tanya Wright), durante sua transição. O filho Michael (Michael Rainey Jr.), porém, não aceitou a mudança tão bem e foi quem a denunciou para a polícia.

Queridinha da crítica, Laverne foi indicada ao Emmy em 2014 por sua atuação na série, o que a tornou a primeira transexual a concorrer à estatueta. Uma curiosidade: nos flashbacks que mostram quando Sophia era homem, é o irmão gêmeo de Laverne Cox, M. Lamar, quem interpreta o personagem, chamado de Marcus.

divulgação/amazon

Jeffrey Tambor acumula prêmios por sua interpretação sensível como Maura Pfefferman

Transparent - Maura
Na produção da Amazon, a personagem transexual deixa o posto de coadjuvante e vira protagonista: a série mostra a vida de Mort Pfefferman (Jeffrey Tambor), que depois de se aposentar como professor decide parar de mentir para a família e assume que se identifica com o gênero feminino, assumindo a identidade de Maura.

A ex-mulher de Mort, Shelly, é interpretada por Judith Light, que tinha lidado com o tema da transexualidade em Ugly Betty: ela interpretava Claire, a mãe de Alexis na série. Transparent já rendeu duas estatuetas do Emmy e um Globo de Ouro para Jeffrey Tambor, elogiado pela sutileza com que interpreta Maura _bem diferente de seu trabalho na comédia Arrested Development, por exemplo.

divulgação/netflix

Jamie Clayton é transexual Nomi, uma das oito pessoas ligadas mentalmente em Sense8

Sense8 - Nomi
Em uma série na qual a sexualidade de todos os personagens é fluida, com héteros, homos e bissexuais tendo vez, Nomi (Jamie Clayton) é a representante dos transexuais no grupo de oito pessoas interligadas mentalmente. Lésbica, a blogueira e hacker de San Francisco vive com a namorada, Amanita (Freema Agyeman). Nomi nasceu Michael, mas com a mudança de gênero escolheu o novo nome, que significa "Know me" (conheça-me, em inglês).

Jamie é transexual e, antes de estrelar a série, participou do reality show TRANSform Me (2010), exibido pelo canal VH1 norte-americano, no qual três mulheres trans ajudavam a participante cisgênero do episódio a transformar seu visual. Uma das companheiras de Jamie era Laverne Cox.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

Notícias da TV Recomenda

Vikings

Vikings

Ficha técnica: Aventura, Histórico, Irlanda/Canadá, 2013. Criação: Michael Hirst. Elenco: Travis Fimmel, Katheryn Winnick, Gustaf Skarsgård, Alexander Ludwig. Disponível no Now.

Sinopse: A série mostra a história do viking Ragner Lothbrok (Travis Fimmel), um dos mais conhecidos heróis nórdicos e considerado o flagelo da Inglaterra e da França. Entre o romance com Lagertha (Katheryn Winnick) e a relação com os três filhos, há guerras, destruição e muita pilhagem.

Por que assistir: A primeira produção de ficção do History Channel já foi indicada a 11 categorias técnicas do Emmy, de efeitos especiais a maquiagem, mas também chama a atenção por seu elenco: a quinta temporada conta com o reforço de Jonathan Rhys Meyers, ganhador do Globo de Ouro e do festival de Monte-Carlo. Com muita violência e mulheres empoderadas, a série tem atrativos para todos os públicos.

Assista agora no NOW

+ Lidas

Bloco de Notas

Amor acaba

Gillian Jacobs e Paul Rust em Love; comédia termina com a terceira temporada - Divulgação/Netflix A terceira temporada de Love será a última. A comédia da Netflix, do showrunner Judd Apatow (Girls), retornará com novos episódios em 9 de março, com a oportunidade de dar um desfecho apropriado à história ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Quem você gostaria que substituísse Cátia Fonseca no Mulheres?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook