De Félix a Frank Underwood

Sair do armário, nem pensar: relembre sete gays enrustidos da ficção

Estevam Avellar/TV Globo

O médico Samuel (Eriberto Leão), que faz de tudo para não revelar que é homossexual - Estevam Avellar/TV Globo

O médico Samuel (Eriberto Leão), que faz de tudo para não revelar que é homossexual

REDAÇÃO - Publicado em 14/11/2017, às 06h12

Em O Outro Lado do Paraíso, Samuel (Eriberto Leão) não quer nem pensar em assumir para a sociedade que é gay. Ele procura médicos e até uma curandeira no interior do Tocantins para conseguir "funcionar" com uma mulher (sem deixar de manter seus casos secretos com homens, é claro). Na ficção, histórias de gays enrustidos como essa têm sido cada vez mais frequentemente, com detalhes até mais drásticos e trágicos do que a vivida pelo médico da novela das nove.

Walcyr Carrasco já havia usado o tema em Amor À Vida, em 2013, com o personagem Félix (Mateus Solano). Casado com uma mulher, ele escondeu seu caso com o Anjinho (Lucas Malvacini) durante muito tempo. Só após ser expulso da mansão da família foi que ele começou a reconstruir sua vida e assumir sua homossexualidade.

Já na série Shades of Blue, um tenente da polícia de Nova York aparentava ser um verdadeiro machão, com família "tradicional" e conservadora, mas durante muito tempo teve um caso quente com outro homem.  

Relembre os dramas de personagens gays enrustidos na ficção:

reprodução/NBC

O "machão" Matt Wozzniak (Ray Liotta) nem pensava em revelar o romance com outro homem

Matt Wozniak - Shades of Blue
O brutamontes Matt Wozniak (Ray Liotta), tenente da polícia de Nova York, escondeu por baixo da faceta de homem hétero e machista uma paixão quente por outro homem na primeira temporada de Shades of Blue, atração do canal Universal.

Casado e com um filho (ele teve outra filha, mas ela cometeu suicídio aos 19 anos), o chefão corrupto mostrava ser o macho alfa para todos ao redor e caiu em desgraça quando descobriram que ele tem um relacionamento gay. Sua mulher o abandonou e sua reputação na polícia foi arruinada. Ele passou a segunda temporada, encerrada em maio, sozinho _sem mulher nem homem.

reprodução/TV Globo

"Bicha má", Félix mantinha um casamento de fachada e escondia os encontros com o Anjinho

Félix - Amor À Vida (2013)
Félix tinha diversos problemas de relacionamento em família: se sentia rejeitado pelo pai, tinha ciúme doentio da irmã e queria controlar todo o patrimônio da família. Por isso, escondeu durante anos sua homossexualidade: se casou com uma mulher, assumiu um filho (que anos depois descobriu não ser dele) e acobertou o caso que tinha com um garotão, a quem chamava de Anjinho.

Depois de ter suas falcatruas na empresa descobertas e ser expulso da mansão da família, Félix começou a se assumir. Ele se arrependeu de suas maldades e se apaixonou por Niko (Thiago Fragoso). Os dois engataram um romance e até protagonizaram, no último capítulo, o primeiro beijo gay de uma novela das nove das Globo. 

divulgação/netflix

Courtney (Michele Selene Ang) se esforça para esconder e reprimir sua homossexualidade 

Courtney - 13 Reasons Why
Filha adotiva de pais gays, Courtney não admite que também sente atração pelo mesmo sexo. Na até agora única temporada da série, em uma noite regada a muita bebida alcóolica, ela desafiou a protagonista Hannah (Katherine Langford) a tirar a blusa e beijá-la. Hannah correspondeu, e um colega de classe aproveitou para fazer fotos das duas e divulgá-las para toda a escola.

Courtney ficou apavorada com a repercussão e não só negou que fosse ela nas fotos como também inventou mais mentiras sobre Hannah e se afastou totalmente da amiga. Com medo da homofobia, ela preferiu esconder quem realmente era.

divulgação/Globo

Em O Rebu, a homossexualidade de Conrad (Ziembinsky) era retratada muito discretamente

Conrad - O Rebu (1974)
A novela O Rebu teve uma das primeiras representações de homossexualidade na teledramaturgia nacional, mas de forma muito velada. Toda a trama principal da novela se passava durante uma festa, que acontecia na casa de Conrad (Ziembinsky). Ele tinha um caso com o garotão Cauê (Buza Ferraz), mas não havia na produção nenhuma cena que deixasse claro o afeto entre os dois.

Para que a novela não fosse barrada pela Censura Federal, a Globo preferiu deixar o caso nas entrelinhas. Cauê era apresentado como "filho adotivo" de Conrad, apesar de todos perceberem que a relação entre os dois não era bem paternal.

reprodução/Fox

Jamal (Jussie Smolett) cresceu reprimido pelo pai, o machista Lucious (Terrence Howard)

Jamal Lyon (Empire)
Desde criança, Jamal Lyon (Jussie Smolett) mostrava traços de feminilidade, mas o pai, o truculento Lucious (Terrence Howard), traumatizava o garoto. Chegou até a colocar o filho na lata do lixo depois de vê-lo com as roupas da mãe.

Jamal escondeu sua homossexualidade durante 20 anos. Saiu do armário na primeira temporada de Empire (Fox Premium 1), em 2015, ao cantar em um show uma música feita pelo próprio pai, alterando apenas um verso da canção. O que, é claro, deixou Lucious possesso. Na letra original, a balada era de um homem para uma mulher. Na nova versão, de homem para homem.

divulgação/globo

Mário (Cecil Thiré) recebe massagem de seu mordomo e amante Jacinto (Claudio Curi)

Mário - Roda de Fogo (1986)
O personagem de Cecil Thiré em Roda de Fogo não se relacionava com mulheres, mas tinha um jeito afeminado e dizia se identificar muito com elas. Vivia em uma mansão com seu mordomo Jacinto (personagem interpretado por Claudio Curi, com quem tinha uma relação amorosa implícita) e se interessava muito por roupas e comidas exóticas.

Advogado, Mário era visto como um gay enrustido e afetado e só demonstrava atenção fora do normal por seu cliente Renato (Tarcísio Meira), que o desprezava. Mário, desculpe o tracadilho infame, não saiu do armário.

reprodução/Netflix

O personagem de Kevin Spacey em House of Cards mentinha casos homossexuais secretos

Frank Underwood - House of Cards
Casado, mas sem filhos, o ex-presidente dos Estados Unidos Frank Underwood (Kevin Spacey), protagonista de House of Cards (Netflix), teve relações homossexuais desde os tempos de universitário, época em que se envolveu com um colega de quarto.

Seu contato íntimo com a mulher Claire (Robin Wright) sempre foi escasso, o que a levou a ter casos amorosos esporádicos _um deles, na quinta temporada, foi com o escritor Tom Yates (Paul Sparks), contratado pelo próprio Underwood para trabalhar ao seu lado. Também na temporada passada, o político engatou um novo romance gay, agora com seu personal trainer.

Claire sempre soube da bissexualidade do marido. Ele chegou a beijar um ex-segurança na frente dela.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Crimes na floresta

Ciro Guerra recebe Prêmio Fênix pela direção do filme Abraço da Serpente, de 2015 - Reprodução A Netflix anunciou que fará uma série ambientada na floresta amazônica. Ainda sem nome definido, a produção se passará na fronteira da Colômbia com o Brasil e mostrará um jovem detetive e seu parceiro durante ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Você pretende assistir Apocalipse, nova novela da Record?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook