Rir para não chorar

Nos Estados Unidos, falar de política em talk show dá audiência

Reprodução/YouTube

O apresentador Stephen Colbert faz piada e imita Donald Trump no The Late Show, da CBS - Reprodução/YouTube

O apresentador Stephen Colbert faz piada e imita Donald Trump no The Late Show, da CBS

JOÃO DA PAZ - Publicado em 23/02/2017, às 06h08

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na semana passada em um encontro com jornalistas que falar sobre ele na TV dá audiência. Para o apresentador Stephen Colbert, essa afirmação, embora um tanto arrogante, é verdadeira. Seu The Late Show, na CBS, fechou a terceira semana seguida como líder de audiência entre os talk shows da TV norte-americana, com média de 3 milhões de telespectadores, destronando o até então imbatível The Tonight Show, que Jimmy Fallon comanda na NBC.

Fallon ocupou o primeiro lugar no horário durante um ano e quatro meses consecutivos. A última derrota tinha sido justamente para Colbert, em setembro de 2015, quando ele estreou no The Late Show.

O aumento recente na audiência de Colbert, que cresceu cerca de 300 mil telespectadores, se deve ao fato de o apresentador não fugir de temas polêmicos da política dos Estados Unidos e ser um crítico voraz de Trump, seja em seus monólogos ácidos e bem-humorados ou em piadinhas nas entrevistas com os convidados.

O estilo quase ativista de Colbert se contrapõe ao de Fallon, adepto de um programa mais leve, cômico e apartidário. A fórmula sem compromisso do The Tonight Show é um sucesso, o que explica o longo período que Fallon passou na liderança e sua supremacia no YouTube: seu canal tem 13 milhões de inscritos, 10 milhões a mais que o de Colbert.

Porém, em uma época politicamente tensa nos EUA, fugir do assunto não tem sido a melhor opção. E Colbert chegou ao topo da audiência justamente uma semana após Trump assumir a presidência do país.

Em setembro do ano passado, quando o empresário estava em plena campanha, Fallon recebeu o político em seu programa e foi criticado por não ter feito nenhuma pergunta mais incisiva. Público e mídia não pouparam o comediante, e o encontro ficou marcado pela cena de Fallon bagunçando o cabelo de Trump, imagem que simboliza bem o estilo do apresentador.

Já a veia política de Colbert é conhecida desde os tempos do canal Comedy Central. Exibido no horário nobre, o programa The Colbert Report sucedia o também ácido Daily Show de Jon Stewart, e tinha conteúdo estritamente político. Com dez temporadas, entre 2005 e 2014, o Colbert Report ganhou sete prêmios Emmy.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

Notícias da TV Recomenda

Hannibal

Hannibal

Ficha técnica: Horror, EUA, 2013-2015. Criação: Bryan Fuller. Elenco: Hugh Dancy, Mads Mikkelsen, Caroline Dhavernas, Laurence Fishburne, Gillian Anderson. Disponível no Now e no Crackle.

Sinopse: Vilão marcante do filme O Silêncio dos Inocentes, o psiquiatra e serial killer Hannibal Lecter (Mikkelsen) é o astro da série, que mostra a relação do canibal com o agente do FBI Will Graham (Dancy). Eles passam trabalhar juntos na caça a outro assassino em série.

Por que assistir: A possibilidade de fazer um mergulho mais profundo na mente de Hannibal Lecter já é um convite para acompanhar a série. Mads Mikkelsen brilha na pele do psicopata e não deixa nada a dever a Anthony Hopkins, que interpretou o vilão no cinema. O elenco coadjuvante também merece destaque, com participações que vão de Anna Chlumsky (de Veep) a Gina Torres (de Suits), passando por Gillian Anderson e Caroline Dhavernas.

Assista agora no NOW

+ Lidas

Bloco de Notas

Choradeira do sucesso

A técnica Claudia Leitte foi às lágrimas na hora de eliminar candidatos de seu time - Reprodução/TV Globo Com a estreia da fase de batalhas, o The Voice Kids bateu recorde histórico de audiência no domingo (18). O programa apresentado por André Marques teve média de 21,1 pontos na Grande São Paulo, seu ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Depois de Ana Paula, quem merece sair do BBB com maior rejeição?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook