Matheus Furlan

Jornalista pede emprego em todas as emissoras da Record e realiza sonho

Antonio Chahestian/Record TV

Matheus Furlan no estúdio do Balanço Geral Manhã, programa que ele comanda na Record - Antonio Chahestian/Record TV

Matheus Furlan no estúdio do Balanço Geral Manhã, programa que ele comanda na Record

FERNANDA LOPES - Publicado em 02/10/2017, às 05h12

Desde que Matheus Furlan começou a trabalhar como comunicador, aos 17 anos, sempre teve uma ideia fixa na cabeça: queria ser funcionário da Record. Ele passou por diversas emissoras de rádio, trabalhou em um canal de TV nanico do interior e, durante um ano, ligou constantemente para afiliadas da Record no Brasil todo para pedir emprego.

A persistência deu certo. Furlan, de 36 anos, foi contratado em janeiro de 2016 pela afiliada de Belém, transferido para São Paulo em agosto deste ano e, um mês depois, promovido a apresentador do Balanço Geral Manhã.

"De 2015 a 2016, todo dia eu ligava nas emissoras da Record no Brasil inteiro pra pedir emprego. Ligava um dia no Rio, outro em Brasília, outro em São Paulo, e assim ia. Dizia que era do interior, apresentador de TV, e queria uma oportunidade lá. Pediam para eu mandar currículo, mandar vídeos, e eu mandava no e-mail de todo mundo! Eu fui muito persistente, muito", lembra.

E ele conseguiu, mas com algumas condições. Furlan recebeu um telefonema do diretor da Record na capital do Pará o convidando a ser repórter policial e trabalhar de madrugada, da meia-noite às 6h. "Deixei meu emprego para ir a Belém, por um salário menor. Tudo porque eu queria trabalhar na Record, era meu sonho. Fiquei lá um ano e meio", explica.

O repórter chamou a atenção por seu desempenho em Belém e teve até algumas de suas reportagens exibidas e comentadas por Marcelo Rezende (1951-2017) no Cidade Alerta. Há um mês, ele foi chamado para ser plantonista do programa aos sábados e não deixou mais a Record de São Paulo.

Logo após a morte do jornalista veterano, Luiz Bacci foi efetivado no Cidade Alerta e Furlan passou a apresentar o Balanço Geral Manhã. A rotina dele mudou completamente: agora, Furlan vai dormir por volta de 19h e acorda às 2h30 para trabalhar.

"Mas [acordo essa hora] por capricho. Levanto, faço alongamento, me exercito um pouco. Quando são 4h, já estou na Record. Chego na Redação, passo todas as reportagens, faço reunião com a equipe, tomo conhecimento de tudo que vai ter no programa. Minha adaptação foi imediata, eu estava disposto a qualquer coisa para vir trabalhar na Record em São Paulo. Estou comemorando até hoje", brinca.

reprodução/instagram

Matheus Furlan e Reinaldo Gottino na Redação da Record: 'Brincam que somos parecidos'

Amigos de trabalho
Mesmo assim, quando estava prestes a estrear como apresentador do Balanço Geral, Furlan confessa que ficou nervoso. Seu primeiro amigo na emissora, que lhe deu força e dicas para encarar o desafio, foi Reinaldo Gottino, titular do Balanço Geral do meio-dia. 

"As pessoas até brincam dizendo que a gente é muito parecido, que a gente é irmão. No primeiro dia de trabalho, eu estava nervoso, tenso, e o Gottino me mandou mensagens no WhatsApp me dando dicas para ficar calmo, tranquilo", revela.

Furlan também conhece bem outro apresentador da emissora: Geraldo Luis. No início da carreira, o jornalista fez bicos como garoto-propaganda no interior de São Paulo e apresentou produtos no programa que Luis tinha antes de ir para a Record.

"O Geraldo era apresentador lá em Limeira, e eu fui ser garoto-propaganda dos clientes dele na TV. Ele me deu muito conselho, sempre falava que eu tinha que me dedicar bastante, aprender, que se eu tivesse muita vontade eu ia conseguir chegar onde quisesse. Ele me deu muita inspiração, me influenciou muito", declara.

Furlan ainda não reencontrou o colega nos corredores da Record, mas diz que assiste ao programa dele e ao de seus concorrentes também, como Dudu Camargo, do Primeiro Impacto. Ele diz que se empenha para consolidar seu trabalho no programa da Record e sua identidade na TV brasileira, mas já se sente tão realizado na nova posição que tem até dificuldades para fazer novos planos de carreira.

"Todo dia é um novo desafio. O objetivo é entregar uma audiência boa, trabalhamos para isso, estamos empenhados. Mas o meu maior sonho de vida quando saí da casa dos meus pais era ser apresentador de TV. Eu queria que pelo menos um dia na vida o Brasil todo pudesse me ver. Isso já aconteceu, meu sonho é esse e ele foi realizado. Eu não sei mais o que eu posso querer", confessa.

 

 

Enquete

O que você está achando de Segundo Sol?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook