Memória da TV

Há 35 anos, Jornal da Globo estreava com Jô Soares e três apresentadores

Divulgação/TV Globo

Belisa Ribeiro, Renato Machado e Luciana Vilas Boas, os três primeiros apresentadores - Divulgação/TV Globo

Belisa Ribeiro, Renato Machado e Luciana Vilas Boas, os três primeiros apresentadores

REDAÇÃO - Publicado em 02/08/2017, às 05h23

Exibido desde 2 de agosto de 1982, o Jornal da Globo teve muitas mudanças de formato, apresentadores e colunistas ao longo de 35 anos. Antes da sobriedade de William Waack, o telejornal chegou a ter três âncoras na mesma bancada, comentários divertidos de Jô Soares e Chico Anysio e até um momento dedicado à leitura de textos poéticos.

Ao todo, 31 jornalistas já passaram pela bancada do Jornal da Globo, se revezando entre um trio, duplas e apresentações individuais. Entre 1986 e 1992, ficou marcado por ter casais no comando: Eliakim Araújo (1941-2016) e Leila Cordeiro, até 1989, e Fátima Bernardes e William Bonner.

Eliakim, aliás, era responsável pela leitura de textos de poetas, dramaturgos e cineastas num quadro em que Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) era um dos colaboradores. As colunas do Jornal da Globo também tinham espaço para críticas com descontração, com comentários de Jô Soares e esquetes do Casseta & Planeta, por exemplo

Relembre curiosidades e fatos marcantes dos 35 anos do Jornal da Globo:

ramón vasconcelos/tv globo

O jornalista William Waack apresenta o Jornal da Globo sozinho desde outubro de 2015

Rodízio de apresentadores
Quando William Waack e Christiane Pelajo assumiram o comando do Jornal da Globo em 2005, mais de 20 profissionais já haviam ocupado aquela bancada. Só de apresentadores titulares, o telejornal teve 15. Os pioneiros foram Renato Machado, Luciana Villas Boas e Belisa Ribeiro, de 1982 a 1983. Depois deles, viraram âncoras personalidades como Leilane Neubarth, Lilian Witte Fibe, Monica Waldvogel, Sandra Annenberg e Ana Paula Padrão.

Antes de segurar as pontas no noticioso durante a licença médica de Waack na semana passada, Carlos Tramontina também já havia comandado o telejornal: ele assumiu interinamente durante pouco mais de três meses no ano 2000, após a saída de Lilian Witte Fibe.

reprodução/globo

Chico Anysio fazia comentários de humor no Jornal da Globo durante a década de 1990

Espaço do humor
Nas décadas de 1980 e 1990, o Jornal da Globo dedicava um bom espaço entre suas reportagens para colunas de humor. Nos primeiros anos, o bloco de comédia chegou a contar com nomes já extremamente consagrados, como Jô Soares e os cartunistas Chico Caruso e Henfil. Com bom humor, Jô tinha liberdade para fazer os comentários que quisesse sobre política, economia e imprensa.

Nos anos 1990, outro grande nome da Globo começou a fazer críticas bem-humoradas sobre política: Chico Anysio estreou no telejornal em 1992. Dois anos depois, durante a Copa do Mundo de 1994, foi a vez dos humoristas do Casseta e Planeta, que entrevistavam torcedores e atuavam em esquetes sobre a competição.

divulgação/TV Globo

Eliakim Araújo era responsável por ler os textos de poetas e dramaturgos no telejornal

Literatura
Além de notícias, análises, reportagens e humor, o Jornal da Globo também teve no início sua dose de poesia. Na década de 1980, poetas, dramaturgos, romancistas e cineastas foram escolhidos para formarem um time de cronistas culturais. Eles forneciam textos inspirados em fatos do noticiário, que eram lidos por Eliakim Araújo.

Os cronistas "artísticos" do Jornal da Globo eram Arnaldo Jabor, Cacá Diegues (ambos sobre cinema), Antônio Callado (literatura), Ferreira Gullar (artes plásticas), Dias Gomes (teatro), Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) e João Ubaldo Ribeiro. Os dois últimos tinham liberdade para escrever sobre o que quisessem.

divulgação/tv globo

Fátima Bernardes e William Bonner se apaixonaram quando apresentavam o Jornal da Globo

Casais na bancada
Antes de comandarem o Jornal Nacional, William Bonner e Fátima Bernardes formaram um casal na bancada do telejornal de fim de noite. Eles se conheceram em 1989, quando começaram a apresentar juntos. Se casaram no ano seguinte e fizeram dupla no noticioso até 1992. A união chegou ao fim em 2016.

Outro casal já havia ocupado a bancada do Jornal da Globo nos anos 1980: Eliakim Araújo e Leila Cordeiro apresentaram o programa de 1986 a 1989, ano em que saíram juntos da emissora e foram para a Manchete. O casamento de Leila e Araújo durou até julho do ano passado, quando ele morreu, aos 75 anos, vítima de um câncer no pâncreas.

REPRODUÇão

Leilane Neubarth inovou com seu cabelo naturalmente cacheado e sua postura política

Ousadia de Leilane
Quando estreou como apresentadora do Jornal da Globo em 1983, Leilane Neubarth implementou algumas novidades no telejornalismo brasileiro. Primeiro, ela comandava o programa do estúdio e também fazia reportagens de rua, em tom descontraído. Em seguida, o visual dela também começou a se destacar. Além de usar óculos de modelos excêntricos, ela passou a deixar seu cabelo ao natural, sem escova ou penteados _como era o normal para mulheres âncoras até então.

A ousadia da jornalista foi além: em 1984, ela usou no ar um broche amarelo que simbolizava a campanha pelas Diretas Já. "Por ser final da Ditadura Militar [1964-1985], víamos o jornal como ideal de liberdade de expressão", ela contou ao site Memória Globo.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Better Things renovada

A atriz Pamela Adlon, indicada ao Emmy, na segunda temporada de Better Things - Divulgação/FX Aclamada pela crítica, a comédia Better Things foi renovada para a terceira temporada. Exibida nos Estados Unidos pelo canal FX, a série está entre as melhores de 2017 segundo veículos especializados, da revista Variety à ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Bibi merece redenção em A Força do Querer?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook