REQUISITADO

Galã da Record há 11 anos, Fernando Pavão passa a trabalhar por obra em Jesus

MUNIR CHATAK/RECORD TV

Fernando Pavão interpreta o policial César Sardes em Apocalipse e está confirmado no elenco de Jesus - MUNIR CHATAK/RECORD TV

Fernando Pavão interpreta o policial César Sardes em Apocalipse e está confirmado no elenco de Jesus

GABRIEL PERLINE - Publicado em 11/06/2018, às 06h03

Após 11 anos de contrato fixo com a Record, o galã Fernando Pavão engrossa a lista de atores que passam a trabalhar por obra. Seu vínculo com a emissora acabou em abril, quando ainda gravava Apocalipse (atualmente em exibição), mas ele foi salvo do desemprego graças a um convite para atuar em Jesus, próxima novela bíblica da emissora. O novo acordo, no entanto, tem prazo curto e acabará junto com a trama.

"É uma tendência. Vou ter que me acostumar. Não terei mais a garantia do contrato, mas poderei circular muito mais. Terei possibilidade de fazer coisas que antes não poderia. Sou extremamente grato à Record, construí uma carreira muito bacana aqui, tenho uma identificação muito forte com a emissora, mas tem uma hora que a gente tem que alçar outros voos e procurar outras coisas também", diz ao Notícias da TV.

Por conta do novo acordo com a Record, Pavão vai emendar uma novela na outra. Ele concluiu há uma semana seu trabalho em Apocalipse, na qual interpreta o policial César Sardes, e teve apenas cinco dias de descanso antes de iniciar os trabalhos em Jesus, que estreia em julho.

Ao mesmo tempo em que Pavão prevê uma maior oportunidade de trabalhos, ele também não esconde a preocupação com a falta de salário quando o seu novo contrato com a Record chegar ao fim.

"Por mais reservas que a gente faça nada substitui um salário fixo. A gente vai ter que refazer uma programação de tudo, do que realmente precisa e é essencial. Mas eu não vejo nada muito diferente de outros amigos meus que exercem outras atividades e passam por um período desempregados. Enfim, é uma coisa natural que eu preferi dar neste momento da minha vida. O momento de arriscar é agora", afirma.

O ator teve diversos trabalhos de destaque e foi bastante requisitado desde 2007, quando retornou à emissora. Protagonizou a minissérie bíblica Sansão e Dalila (2011), e as novelas contemporâneas Máscaras (2012) e Pecado Mortal (2013) e foi o vilão de Escrava Mãe (2016).

Ele diz que a Record chegou a lhe oferecer uma renovação a longo prazo, mas optou por se jogar no mercado e se testar em outras produções que antes o seu contrato de exclusividade não lhe permitiam participar.

Fernando Pavão não é mais exclusivo da Record e agora trabalha por obra (Foto: Faya/Divulgação)

"São trabalhos que eu gostaria de ter aceitado e não pude por conta de um contrato que eu tenho com a Record. A maioria das produções de hoje do cinema são Globo Filmes, e existe um veto aos atores da Record. Perdi algumas oportunidades por conta disso. Mas também não me arrependo em nada, porque tenho muito orgulho de todos os trabalhos que fiz aqui na Record. Acho que tudo é uma coisa de momento, acontecem no momento certo", avalia.

Pavão centurião
Em Jesus, novela escrita por Paula Richard, ele será Petronius, membro da guarda real de Pôncio Pilatos (Nicola Siri) que acabará promovido a centurião. O personagem havia sido reservado a Rafael Sardão, que acabou redirecionado para o papel de João Batista.

"Acabei de gravar Apocalipse na semana passada e já estou me concentrando em Jesus. O processo está meio confuso. Vim ao Rio para fazer provas de roupas e caracterização. É meio complicado, porque é muito em cima, uma [novela] colada na outra. É outro olhar, outra época, tem que dar uma zerada, uma limpada, para eu conseguir entrar em Jesus", explica.

Fernando Pavão entrará na segunda fase da novela, que começará no capítulo nove, e as suas primeiras cenas serão gravadas no fim deste mês. Seu personagem viverá uma dualidade moral, pois trabalhará para o governador da Judeia, que ordena a morte de Jesus por crucificação, mas nutrirá uma admiração pelo filho de Deus.

"Petronius tem uma trajetória cheia de contradições. Ele é um guerreiro das batalhas, um centurião romano, braço direito de Pôncio Pilatos. É um cara que quando tem que matar, mata. Faz parte das funções dele, mas ao mesmo tempo tem uma simpatia por Jesus e pelo discurso dele, e pelo que Jesus passa", comenta.

Leia também

 

 

Enquete

Você pretende assistir Lia, minissérie da Record?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook