Welder Rodrigues

Elenco do Tá no Ar faz bullying com comediante que veio do Zorra Total

Paulo Belote/TV Globo

O comediante Welder Rodrigues durante a apresentação da quinta temporada do Tá no Ar - Paulo Belote/TV Globo

O comediante Welder Rodrigues durante a apresentação da quinta temporada do Tá no Ar

FERNANDA LOPES - Publicado em 11/01/2018, às 05h59

Sucesso no Tá no Ar com o bordão "Foca em mim", Welder Rodrigues até gostaria de esquecer um personagem que fez no passado, mas seus colegas do humorístico não deixam. Durante a apresentação da nova temporada do programa, que estreia no dia 23, o comediante sofreu bullying quando seu nome foi anunciado no elenco. Os atores e redatores fizeram um coro de "Jajá", papel que ele fez no Zorra Total.

Após o fim dessa versão do programa, que virou Zorra em 2015, o ator de 47 anos revelou que não se identificava com aquele tipo de humor. Ele interpretava Jajá, que tinha crises terríveis de ciúmes da mulher, a feia e "buchuda" Juju (Adriana Nunes) _o ator quebrava objetos e pulava pelo cenário nos ataques nervosos do personagem .

"Quando saí do Zorra Total, foi justamente para não ficar com o estigma do personagem, que não tem a ver com o que faço no teatro. E fazer aquele trabalho corporal era muito cansativo, eu estava esgotado. Não estava satisfeito com aquilo, que realmente não é meu lugar, não é o meu humor. Mas hoje estou completamente satisfeito com o que faço", afirmou o ator ao Notícias da TV. 

Hoje, o comediante tem grande repercussão no Tá no Ar como Jorge Bevilácqua, apresentador de um programa policialesco no estilo do Brasil Urgente, mas que só relata crimes de crianças: o Jardim Urgente.

Marcelo Adnet, que é redator final do programa, ressalta que o sucesso do personagem se deve muito ao grande talento de Rodrigues, mas não deixa de zoar o amigo pelo papel antigo.

"Quando gravamos o Jorge Bevilácqua, percebemos que aquilo tinha uma força muito grande. O Welder, resistente como só, brasiliense teimoso que é, traumatizado com outros trabalhos, resistiu. Não queria um novo Jajá em sua vida. Mas deu certo, ficou até maior do que o programa, as pessoas reconhecem", conta. 

Jorge Bevilácqua é um dos poucos personagens que aparecem em todos os episódios do Tá no Ar, assim como o índio gay Ubirajara Dominique e o empresário da noite paulistana Tony Karlakian.

Nessa temporada, além de manter o bordão "Foca em mim", Bevilácqua aparecerá em comerciais de produtos terríveis para crianças, como um serviço de despacho dos pequenos junto com as bagagens em aviões. "Você pode despachar a criança e pegar o pirralho só no destino final. Quem leva criança pro avião tá viajando", diz o personagem na cena.

Com cerca de 200 cenários e 400 esquetes, a quinta temporada disparará ataques para todos os lados, segundo o comediante Marcius Melhem, que também é redator final do humorístico. O programa fará críticas a assuntos como assédio sexual, violência em comunidades, religião e Operação Lava-Jato. O Tá no Ar irá ao ar às terças, a partir do dia 23, após o Big Brother Brasil.

Leia também

 

 

Enquete

Quem deve ter o pior final em Deus Salve o Rei?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook