OLHO NO FUTURO

De princesas modernas a astronautas teens: as séries que você (talvez) verá na TV

Divulgação/Bryan & Nat

Bryan Ruffo e Natalia Milano, roteiristas e estrelas de Bryan & Nat 1/3: projeto de nova série - Divulgação/Bryan & Nat

Bryan Ruffo e Natalia Milano, roteiristas e estrelas de Bryan & Nat 1/3: projeto de nova série

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 08/03/2018, às 05h58

Três jovens adultas descobrem que a vida real passa longe dos contos de fada e que princesas modernas precisam fazer muito mais do que encontrar um príncipe encantado. Crianças e adolescentes são despertados em uma nave espacial um século antes de chegarem ao seu destino e precisam se virar sem nenhum adulto por perto. As duas histórias ainda estão no papel, mas podem virar séries de TV nos próximos anos.

Chamadas de Casa das Princesas e Espaçonave Copacabana, respectivamente, as ideias são duas das oito finalistas da categoria ficção da 3ª edição do Concurso NetLabTV, que tem como objetivo identificar e premiar novos formatos de séries brasileiras. Neste ano, foram inscritos 785 projetos em três categorias: ficção, não ficção e social video. Na etapa atual, há 24 finalistas, oito por quesito.

Além de Casa das Princesas e Espaçonave Copacabana, os finalistas de ficção incluem: Alma Faminta, um drama de cunho policial que questiona o valor da vida; Bryan & Nat 1/3, baseado na história real de um casal de jovens roteiristas, com cada episódio mostrando um ano do relacionamento; e Call Center, sobre uma gerente de um departamento de reclamações que precisa lidar com o fato de que todos os seus funcionários pediram demissão depois de ganharem na Mega Sena.

Há ainda Habeas Corpus, uma série jurídica sobre pai e filho advogados que têm ideias bem diferentes sobre o conceito de justiça; Impulso, drama sobre uma policial especialista em negociação de reféns e suicidas que lida com a própria depressão após a morte da filha; e Visões de Uma Inocente, série sobre um jovem que precisa correr contra o tempo para sobreviver, com a ajuda de uma paciente de clínica psiquiátrica que previu a morte da mãe adotiva dele.

O público pode escolher seus projetos favoritos, e a votação popular elegerá um ganhador por categoria. Uma comissão julgadora definirá os outros nove vencedores (três de cada grupo). Os vencedores serão anunciados em 10 de abril e, como prêmio, receberão consultoria de especialistas para o aprimoramento dos roteiros e verba de apoio para o desenvolvimento dos projetos.

"Eles também participam do Laboratório NetLabTV, que será realizado em São Paulo, de pitching [apresentação do projeto] para players do mercado audiovisual e de um programa de imersão criativa, que inclui encontros e visitas a canais de TV, produtoras independentes, agregadores de social video e distribuidores", conta Daniely Gomiero, vice-presidente de projetos do Instituto Net Claro Embratel, patrocinador do concurso.

Em anos anteriores, o Laboratório NetLabTV trouxe para o Brasil nomes como Elizabeth Devine, roteirista e produtora de CSI (2000-2015); David Zabel, showrunner de Plantão Médico (1994-2009); e Dan Attias, diretor de Homeland e The Walking Dead. Os profissionais compartilharam suas experiências e deram dicas para os vencedores de como aprimorar seus projetos para que eles se concretizem.

As edições anteriores do NetLabTV foram realizadas em 2013 e 2014, e já renderam dois projetos: Dia 1, reality de Patrícia Leme e Bruno Souto que foi exibido pela HBO em 2016; e A Bênção, série de ficção de Leo Garcia, Frederico Ruas e Pedro Marques Ares, que está sendo produzida pela Coelho Voador para o Canal Brasil.

 

 

Enquete

O que você está achando de Segundo Sol?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook