¡Hola, hola, hola!

Com Carminha, Globo recupera terreno perdido na América Latina

Fábio Rocha/TV Globo

Adriana Esteves em cena de Avenida Brasil, novela em que brilhou como a vilã Carminha - Fábio Rocha/TV Globo

Adriana Esteves em cena de Avenida Brasil, novela em que brilhou como a vilã Carminha

GILVAN MARQUES - Publicado em 27/09/2013, às 18h53 - Atualizado em 29/09/2013, às 00h01

Exibida originalmente em 2012, Avenida Brasil está ajudando a Globo a recuperar prestígio e terreno perdidos na América Latina.

A história escrita por João Emanuel Carneiro já foi licenciada para 71% dos países da região. A Colômbia foi o último país a comprá-la. 

Uma trama da emissora não fazia tanto barulho desde O Clone, de 2001. 

Segundo a Globo, "a América Latina é um mercado tradicional, grande consumidor de novelas da emissora". 

De fato, a região sempre foi um dos principais clientes da Globo, com um público fiel. Mas a história ágil e a linguagem universal têm levado Carmina e Tifón (nomes de Carminha e Tufão em espanhol) a um sucesso gigantesco.

A repercussão de Avenida Brasil supera a de produtos de outras concorrentes tradicionais, como a rede mexicana Televisa, a colombiana RCN e a argentina Telefé.

As produções nacionais sempre foram reconhecidas pela alta qualidade de produção, mas perdem para os dramalhões mexicanos em três quesitos básicos: idioma, singularidade de história e no preço mais "camarada".

As novelas mexicanas são oferecidas ao mercado a um preço bem menor das brasileiras.

Cada capítulo de folhetim da Globo custa 15 vezes mais do que os da Televisa, cujas produções têm mais cenas em estúdios, mais baratas.

Repercussão

Mesmo com todas as dificuldades mercadológicas, Avenida Brasil está conseguindo ser líder em emissoras do Chile, Uruguai e Venezuela.

Debora Falabella na casa do lixão de Avenida Brasil, novela exportada para 107 países
 

No Chile, internautas seguem pressionando o Canal 13, que a transmite às 15h. Querem que Avenida Brasil mude para o horário nobre. A direção cedeu em partes. Passou a exibir boletins com os melhores momentos da semana às 22h.

Já no Uruguai, telespectadores criaram uma petição pública exigindo que o canal local Teledoce retransmita a novela diariamente, e não apenas duas vezes por semana.

E no Peru, um canal decidiu criar uma versão local, Avenida Peru, com detalhes muito próximos a de Avenida Brasil. 

O que eles dizem?

NTV entrou em contato com alguns hispânicos para perguntar: O que Avenida Brasil tem de diferente das outras novelas?

A administradora Yuraima Ortdega Gonzalez é moradora de Anaco, cidade localizada no Estado de Anzoátegui, na Venezuela. "Avenida Brasil está sendo minha primeira novela", diz. Yuraima afirma que Avenida Brasil é diferente de outras já exibidas em seu país. "Carmina" é a sua personagem favorita.

Mario Vasquez, professor chileno, diz que os capítulos ágeis, parecidos com a de séries americanas, o levou a acompanhar a novela brasileira.

Até agora, Avenida Brasil foi vendida para 107 países no mundo todo _15 deles da América Latina. É o maior sucesso da Globo em todo o planeta. A recordista anterior, Da Cor do Pecado (2004), foi ao ar em 100 nações.

Nenhuma versão local, porém, foi autorizada. Avenida Peru é, portanto, uma cópia pirata.


Conheça o Notícias da TV

Curta o Notícias da TV no Facebook

 

 

Enquete

O que você está achando de Segundo Sol?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook