Jornalismo

Apresentador de afiliada da Globo é demitido após criticar governador

Reprodução/Facebook

Clayton Pascarelli, que foi demitido após criticar governador por massacre no Amazonas - Reprodução/Facebook

Clayton Pascarelli, que foi demitido após criticar governador por massacre no Amazonas

DANIEL CASTRO - Publicado em 06/01/2017, às 05h30

Apresentador do Bom Dia Amazonas, da afiliada da Globo em Manaus, o jornalista Clayton Pascarelli foi demitido na quarta-feira (4), um dia depois de fazer um comentário crítico ao governador do Estado do Amazonas, José Melo, do Pros, por causa da morte de 56 presos em uma guerra de facções no Complexo Penitenciário Anísio Jobim.

No telejornal de terça-feira, foi ao ar uma reportagem sobre a visita do ministro da Justiça ao Amazonas. No final, em uma entrevista coletiva, o governador dizia que avaliava conceder um pacote de regalias aos presos do Estado. Coapresentadora do Bom Dia Amazonas, Luana Borba questionou que era "no mínimo curioso" o governador dar privilégios a detentos que cometeram uma "barbárie". "Bom, deste governo nada mais me assusta", questionou Pascarelli em seguida.

Embora o comentário de Pascarelli tenha sido mais leve, somente ele foi punido. Ainda na terça, foi avisado de que não apresentaria o telejornal no dia seguinte. Um diretor da emissora entrou na Redação da emissora gritando que seu telefone não parava de tocar por causa da crítica do jornalista.

Pascarelli já estava sob a mira da direção da Rede Amazônica. Especialista em segurança pública, ele é repórter investigativo (é diretor da Abraji, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) e um âncora crítico. Secretários do governo estadual se recusavam a participar do telejornal matinal para evitar os questionamentos do jornalista, que já vinha recebendo alertas de superiores sobre os transtornos que seus comentários causavam à casa.

Pascarelli em post no Facebook em que se despediu dos telespectadores da Rede Amazônica

Procurado pelo Notícias da TV, Pascarelli não quis falar sobre sua demissão, mas confirmou que foi motivada pelo comentário sobre o massacre de presos. Nas redes sociais, ele publicou um texto, muito elegante, em que não faz nenhuma acusação contra a Rede Amazônica. Pelo contrário, agradece aos patrões "pela isenção, credibilidade e liberdade" que lhe deram nos onze anos de relação profissional.

A Rede Amazônica não comentou sobre o assunto até a conclusão deste texto. A Globo, via assessoria de imprensa, afirmou que se trata de um assunto interno da afiliada sobre o qual não tem nenhuma ingerência.

A demissão de Pascarelli evidencia a fragilidade da independência jornalística de afiliadas da maior rede de televisão do país. Ele não foi a primeira vítima da pressão de governos. No ano passado, por exemplo, o repórter de rede Alex Barbosa foi demitido pela TV Centro América (Mato Grosso) após tentar comprovar como o tráfico de drogas age facilmente na fronteira com a Bolívia. Ele percorreu 600 quilômetros de estrada transportando 240 quilos de gesso como se fossem pacotes de cocaína.

A pressão sobre jornalistas investigativos de afiliadas, principalmente do Norte e Centro-Oeste, é tanta que muitos deles sugerem reportagens para colegas do Fantástico, ao invés de eles mesmos as produzirem. Além do risco de perder o emprego por causa de políticos, há a ameaça de grupos criminosos.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

Notícias da TV Recomenda

Em Ritmo de Fuga

Em Ritmo de Fuga

Ficha técnica: Baby Driver. EUA/Reino Unido, 2017, 112 min. Direção: Edgar Wright. Elenco: Ansel Elgort, Jon Bernthal, Jon Hamm, Eisa González, Lily James, Kevin Spacey. Disponível no Now.

Sinopse: Baby (Elgort) é um jovem com problemas auditivos que se revela um ás no volante _desde que esteja ouvindo a música correta. Sua habilidade atrai a atenção do criminoso Doc (Spacey), que o chama para ser seu motorista de fuga. Pronto para seguir em frente com sua vida, Baby aceita participar de um último roubo.

Por que assistir: Com a direção do inglês Edgar Wright (de Todo Mundo Quase Morto e Scott Pilgrim Contra o Mundo), Em Ritmo de Fuga respira cultura pop na trilha sonora e no visual. Indicado ao Globo de Ouro de melhor ator, Ansel Elgort consegue provar que tem talento para ser o novo astro de Hollywood, mesmo cercado de grandes nomes. O longa também foi nomeado a três Oscars: edição, mixagem de som e edição de som.

Assista agora no NOW

+ Lidas

Bloco de Notas

Vingança de sucesso

Rafael Cardoso e Bianca Bin no centésimo capítulo de O Outro Lado do Paraíso - Reprodução/TV Globo O Outro Lado do Paraíso chegou ontem (15) ao capítulo de número 100 com média de 35,8 pontos na Grande São Paulo. É o melhor desempenho de uma novela das nove em 100 episódios desde ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Depois de Ana Paula, quem merece sair do BBB com maior rejeição?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook