PORTA DOS DESESPERADOS

Em série, Mallandro é alvo de crianças que se deram mal em seu programa

SAMUEL CHAVES/DIVULGAÇÃO

Sérgio Mallandro tenta ressuscitar o quadro Porta dos Desesperados, sucesso dos anos 1980 e 1990 - SAMUEL CHAVES/DIVULGAÇÃO

Sérgio Mallandro tenta ressuscitar o quadro Porta dos Desesperados, sucesso dos anos 1980 e 1990

GABRIEL PERLINE - Publicado em 10/04/2018, às 06h19

Ícone da cultura trash da TV brasileira, o quadro Porta dos Desesperados, apresentado por Sérgio Mallandro nos anos 1980 e 1990, está prestes a virar uma série de ficção nonsense para a TV, intitulada provisoriamente de Sérgio Mallandro e a Volta dos Desesperados. O projeto foi apresentado pelo humorista e por seus sócios durante o Rio2C, evento do mercado audiovisual, na última semana, e chamou a atenção pela originalidade. Tanto que um canal já sinalizou interesse e abriu a rodada de negociações.

"Negociamos, mas estamos em um ponto que não tem nenhum direcionamento", diz Diego Lopes, roteirista e sócio de Mallandro no projeto. "O elenco que formamos é legal, temos um valor de produção bacana, mas ainda não batemos o martelo com o canal. Por isso que ainda não me sinto confortável em falar sobre isso."

A sinopse foi criada pelo humorista Fábio Lins, que procurou Mallandro e Lopes. Eles adoraram a ideia e deram início ao projeto. Criaram a estrutura da série, com os perfis de todos os personagens, o arco da trama e até um teaser piloto, que foi apresentado para os possíveis compradores.

"O pessoal que assistiu ao teaser gostou muito. Adoraria que fosse exibido pela Netflix porque sou muito fã dela. Mas sequer negociamos com ela", diz Mallandro, contradizendo a si mesmo. No ano passado, ele havia dito ao Notícias da TV que a série já era um produto confirmado no catálogo da plataforma de streaming.

Na série, Mallandro será alvo de um plano macabro promovido por um grupo de adultos que, quando crianças, se deram mal na Porta dos Desesperados e se frustraram com a brincadeira.

Eles se juntam e fazem um ritual envolvendo forças ocultas, no qual pedem que o humorista seja prejudicado. Com o tempo, Mallandro vai perdendo sua essência e não consegue mais soltar seus bordões, como "glu-glu" e "ié-ié".

"Mallandro vai sendo desconstruído durante a primeira temporada. Mas, no decorrer do processo, ele descobre que tem um poder sobrenatural em relação às portas em geral. Ele é alheio a isso, mas as pessoas vão começar a perceber. Quando ele desejar algo importante, isso acabará aparecendo atrás de uma porta aleatória. Acabará sendo uma guerra do bem contra o mal", comenta Lopes.

Outro fator curioso da comédia é que neste plano oculto das portas manipuladas por Mallandro estarão alguns artistas que caíram no ostracismo.

"Sabe aqueles artistas que fizeram sucesso nos anos 1980 e 1990 e que do nada sumiram? Então, eles estarão numa espécie de armário do Mallandro. Ele vai lembrar desses artistas e falar os nomes de alguns deles. E quando abrir uma porta aleatória, o tal artista aparecerá atrás dela", antecipa.

No teaser apresentado na Rio2C, o cantor "esquecido" que aparece por trás das portas é Sylvinho Blau-Blau, que fez sucesso nos anos 1980 com a banda Absyntho e o hit Ursinho Blau-Blau.

Sérgio Mallandro já conta com dois nomes de peso em seu elenco: os humoristas Dedé Santana e Robson Nunes. Além deles, estão confirmados o blogueiro Jacaré Banguela e Fábio Lins, criador da série.

Se fechar com uma emissora, a ideia do grupo é iniciar as gravações de Sergio Mallandro e a Volta dos Desesperados no primeiro semestre de 2019. A primeira temporada terá 13 episódios de 30 minutos de duração cada.

 

 

Enquete

Qual protagonista de Deus Salve o Rei você mataria?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook