Drama zumbi

Desastrosa na audiência, 8ª temporada de Walking Dead tem 5 pontos positivos

Imagens: Divulgação/AMC

Norman Reedus (à esq.) e Josh McDermitt no penúltimo episódio da oitava temporada de Walking Dead - Imagens: Divulgação/AMC

Norman Reedus (à esq.) e Josh McDermitt no penúltimo episódio da oitava temporada de Walking Dead

JOÃO DA PAZ - Publicado em 13/04/2018, às 05h35

The Walking Dead não registra audiências tão baixas desde 2012. A um episódio do final, a oitava temporada tem média de 7,81 milhões de telespectadores. Em comparação com o sétimo ano, a série perdeu três em cada dez telespectadores. Quem continuou fiel não se arrependeu, pois viu até um zumbi pelado no meio de episódios movimentados, cheios de porrada, reviravoltas, massacres e teorias mirabolantes.

Confira cinco pontos positivos da atual temporada do drama zumbi, que terminará neste domingo (15) e servirá como desfecho para os oito primeiros anos de história:

Negan (Jeffrey Dean Morgan) encara Rick (Andrew Lincoln); troca do socos épica e quente 

Porrada!
O ponto alto dessa fase de Walking Dead é o embate entre o xerife Rick Grimes (Andrew Lincoln) e o vilão Negan (Jeffrey Dean Morgan). A série explorou bem isso ao colocá-los frente a frente para resolverem as diferenças na base da porrada.

Em um dos episódios mais quentes da temporada, eles trocaram socos dentro de um prédio escuro, com direito ao bastão Lucille em chamas; Negan conseguiu escapar ileso. Outro momento MMA ocorreu no episódio da semana passada, quando, no melhor estilo Game of Thrones, o vilão travou uma briga com o seu braço direito Simon (Steven Ogg) pelo direito de ser o líder dos Salvadores.

Zumbi no pântano atrapalhou jornada de Daryl (Norman Reedus) e Rosita (Christian Serratos)

Criatividade zumbi
O drama não esgota a criatividade na hora de mostrar os zumbis, que com o passar do tempo ficam cada vez mais deteriorados. Nessa briga entre Rick e Negan, por exemplo, teve até morto-vivo pegando fogo. Além disso, a série mostrou zumbis no pântano e, claro, o peladão (ou seria peladona?) do 12º episódio.

Usar sangue zumbi virou parte da estratégia de Negan antes do ataque à colônia Hilltop. O vilão deu a ordem para que seus soldados melassem suas armas brancas (flechas, facas, pedaços de madeira, etc), o que contaminaria o inimigo após um simples golpe; Tobin (Jason Douglas) foi a vítima dessa artimanha.

Outro ponto alto da criatividade envolvendo zumbis foi a trituração dos mortos-vivos promovida por Jadis (Pollyanna McIntosh). A cena ganhou dramaticidade porque as vítimas que viraram pedacinhos eram soldados da líder do lixão.

Simon (Steven Ogg) ameaça matar seguidor de Jadis (Pollyanna McIntosh) antes de massacre

Surpresas, de fato
O massacre que dizimou a turma liderada por Jadis foi um daqueles momentos que deixam o fã boquiaberto. Sob a ordem de Simon, soldados dos Salvadores metralharam todos os integrantes da comunidade. Eles não foram o único grupo exterminado: os súditos do rei Ezekiel (Khary Payton) também caíram em uma emboscada.

As reviravoltas desta temporada foram, de fato, surpreendentes. Entram nessa conta a morte de Carl (Chandler Riggs), a apresentação de uma nova personagem, a traição de Dwight (Austin Amelio) e a captura de Negan por Jadis, a recolocando na trama depois de perder influência.

Helicóptero ressurgiu na reta final da temporada e reacendeu debate sobre sua origem

Teorias
A cena de Jadis com Negan no lixão teve uma atração à parte. Um helicóptero apareceu justamente em um dos instantes mais tensos do encontro nada amistoso, com Negan segurando um sinalizador em uma mão e um revólver na outra.

Essa foi a brecha para Walking Dead entrar no território das teorias. De quem é esse helicóptero? Por que Jadis estava esperando por ele? As perguntas levaram os fãs a discutirem outras aparições do helicóptero, tido no início como um erro de pós-produção, para compreender esse reforço improvável no apocalipse zumbi.

Até o medroso padre Gabriel (Seth Gilliam) teve uma trama interessante nesta temporada

Boas histórias paralelas
Principal evento da HQ homônima da qual a série se baseia, a guerra total foi bem adaptada e tomou grande parte da atual temporada. Mas as tramas paralelas não derrubaram o ritmo dos episódios e renderam interações interessantes.

Merecem destaque a rasteira de Simon em Negan, a depressão de Ezekiel e Morgan (Lennie James) em busca de uma luz no fim do túnel, os "milagres" que salvaram o padre Gabriel (Seth Gilliam) e a sede de vingança do garoto Henry (Macsen Lintz), louco para descobrir quem matou seu irmão.

Notícias da TV Recomenda

The Walking Dead

The Walking Dead

Ficha técnica: Terror, EUA, 2010. Showrunner: Scott Gimple. Elenco: Andrew Lincoln, Norman Reedus, Melissa McBride, Lauren Cohan, Danai Gurira, Chandler Riggs, Jeffrey Dean Morgan. Disponível na Fox e no Now.

Por que assistir: The Walking Dead é mais do que uma simples matança de zumbis (apesar de haver desconcertantes massacres). O drama expõe como o ser humano age na escassez e no caos e precisa da ajuda do outro para sobreviver. E não há espaço para gente frouxa nesse mundo, todos têm de pegar em armas.

Assista agora no NOW

 

 

Enquete

Qual protagonista de Deus Salve o Rei você mataria?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook