Tiro pela culatra

De três séries militares recém-lançadas nos Estados Unidos, só uma passa de ano

Divulgação/CBS

David Boreanaz (ex-Bones) em cena de Seal Team, única série militar novata renovada na TV dos EUA - Divulgação/CBS

David Boreanaz (ex-Bones) em cena de Seal Team, única série militar novata renovada na TV dos EUA

REDAÇÃO - Publicado em 12/05/2018, às 07h09

De olho no patriotismo e no amor e respeito que os norte-americanos têm pelas Forças Armadas, três das cinco redes de sinal aberto dos Estados Unidos lançaram séries militares no ano passado. Na reta final da temporada 2017-2018, só uma passou de ano: Seal Team, da CBS. A nanica CW cancelou Valor, e a rede NBC desistiu de Brave na sexta-feira (11).

Com Mike Vogel (Under the Dome) no elenco, The Brave até entregou bons números para a NBC, em uma faixa ingrata e competitiva no horário nobre. Foi exibida às 22h das segundas, contra The Good Doctor (ABC) e Scorpion (CBS).

O problema é que, semana após semana, o drama não conseguiu manter o público da atração antecessora, o bem-sucedido reality musical The Voice.

Isso fez com que The Brave terminasse a temporada, composta por 13 capítulos, com média de 4,62 milhões de telespectadores por episódio.

The Brave contava a história de um grupo de militares norte-americanos que encarava as missões mais desafiadores e perigosas ao redor do mundo. Uma característica da série foi apostar na diversidade. O quadro principal de atores contou com três mulheres, uma delas na chefia.

divulgação/the cw/nbc

A atriz Christina Ochoa em Valor e Mike Vogel em The Brave; as duas séries foram canceladas

Já Valor investiu em uma trama mais novelesca, com triângulo amoroso e tudo o mais. Foi protagonizada pela atriz Christina Ochoa, intérprete da oficial da aeronáutica Nora Madani. Na CW, o drama teve audiência melhor do que outras seis séries da casa, mas não conseguiu sequer passar dos 13 episódios encomendados incialmente e foi cancelada na última terça (8).

Única série militar recém-lançada a ganhar segunda temporada, Seal Team foi renovada em março. Centrada mais em ação do que no drama pessoal dos personagens, acompanha as missões de um time de elite dentro do setor mais nobre das Forças Armadas norte-americanas, o Seal Team, com permissão para agir em missões aéreas, navais e terrestres.

Na vida real, foram soldados desse agrupamento que atuaram na operação que matou o terrorista Osama Bin-Laden, em 2011.

Com 22 episódios, a temporada de estreia de Seal Team terminará no próximo dia 16. Por enquanto, a atração tem uma boa média de telespectadores por capítulo: 6,73 milhões.

Viagem no tempo x militares
Na temporada passada, o tema da moda nas novas séries era viagem no tempo. Quatro atrações desse tipo foram canceladas (Timeless, Time After Time, Frequencey e Making History). Uma delas, Timeless, ressuscitou após apelo dos fãs. A segunda temporada estreou em março.

Antes de setembro, o mercado apontava que as séries militares teriam destino parecido ao das que viajaram no tempo.

De acordo com a revista Adweek, especializada em publicidade, era justamente Seal Team que apresentava mais condições de ser renovada. The Brave era uma incógnita; questionavam se a série conseguiria manter o público do The Voice. E Valor era a clara candidata ao fracasso. Acertou.

 

 

Enquete

O que você está achando de Segundo Sol?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook