LENDAS URBANAS

Após 30 anos na Globo, atriz estreia na Record como mãe louca em série de terror

GABRIEL ZUFFO/DIVULGAÇÃO

Natália Lage em cena da série Lendas Urbanas, seu primeiro trabalho na Record após 30 anos na Globo - GABRIEL ZUFFO/DIVULGAÇÃO

Natália Lage em cena da série Lendas Urbanas, seu primeiro trabalho na Record após 30 anos na Globo

GABRIEL PERLINE - Publicado em 26/04/2018, às 05h18

Natália Lage tinha nove anos quando estreou na Globo como atriz, em 1988, e não parou mais. Chegou a ser escalada para três produções diferentes em um mesmo ano. Após 30 anos na emissora, ela acaba de fazer seu primeiro papel em uma rede concorrente: a série de terror Lendas Urbanas, da Record, prevista para ir ao ar em 2019. "Não rompi com a Globo para ir para a Record. Apenas fui atrás de bons trabalhos", diz.

"Estava querendo fazer outras coisas. Com a alta demanda de conteúdo, a vinda da Netflix e a quantidade de produção de séries, abriu o mercado para todo mundo. Então se você não tiver um baita trabalho para fazer na Globo, você fica ali meio que só para ter um contrato. Quase a minha vida inteira eu estive dentro da Globo. Amo os trabalhos que fiz, mas estou vivendo coisas muito interessantes", explica.

O vínculo fixo de Natália com a Globo se encerrou em 2015, após o fim da comédia Tapas & Beijos (2011-2015), mas ela não deixou de trabalhar na emissora. Participou do quadro Segredos de Justiça (2016), exibido no Fantástico, e de episódios das primeiras temporadas das séries Sob Pressão e Carcereiros.

"Estou trabalhando muito. Vim de dois trabalhos longos na Globo, que foram A Grande Família [2001-2014] e Tapas & Beijos. E eu também estava com vontade de experimentar outras coisas. Como não surgiu um trabalho imediato para mim na Globo logo que saí de Tapas & Beijos, eu quis circular", justifica.

A passagem de Natália pela Record, porém, durou apenas uma semana. Ela protagoniza um dos episódios de Lendas Urbanas e gravou as cenas no início do mês, em São Paulo. Já voltou a trabalhar em produções da Globo.

"Estou na segunda temporada de Carcereiros e também na de Sob Pressão. Depois de fazer vários personagens na linha de humor, agora estou pegando uma série de mulheres loucas, todas bem dramáticas, e estou adorando (risos)", afirma.

Além dessas produções, ela também está no elenco de A Divisão, filme que o Multishow adaptou para uma série, e em O Doutrinador, do canal Space.

GABRIEL ZUFFO/DIVULGAÇÃO

Natália Lage vive Aline na série de terror Lendas Urbanas, prevista para o segundo semestre

Na série de terror da Record, produzida pela Sentimental Filmes e dirigida por Fernando Coimbra, Natália participa do episódio que aborda a lenda urbana do boneco Fofão. À época, comentava-se que o brinquedo escondia uma faca, que era revelada ao desrosquear sua cabeça.

"Minha personagem se chama Aline e o boneco começa a atormentar a vida dela e a de sua família. Ela começa a ficar paranoica. Quando o boneco chega na casa, seu filho muda de comportamento, fica estranho. Tem horas que o boneco surge sozinho em lugares diferentes. É um terror psicológico muito bem desenvolvido", avalia.

Habituada a comédias, Natália descobriu as peculiaridades de uma produção de terror e os cuidados necessários para lidar com as crianças presentes no elenco.

"A emoção do terror é o que te puxa sempre para uma angústia. Uma respiração ofegante, uma paranoia, o medo. A gente está filmando com duas crianças, então tem uma delicadeza para lidar com essa situação. Uma das crianças é um bebê de 4 meses. Tem toda aquela tensão no set, não pode falar muito alto para não assustá-las. Tiveram vários desafios, até internos para mim, que fizeram com que esse trabalho fosse muito especial", diz.

A série terá cinco episódios, cada um dedicado a uma lenda urbana. Além do episódio protagonizado por Natália, serão abordados os casos da loira do banheiro, do homem do saco, do quadro do menino que chora, e da gangue dos palhaços.

 

 

Enquete

O que você está achando de Segundo Sol?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook