Futebol 2017

Por R$ 1,7 bilhão, Globo fecha o maior projeto comercial do país

Cesar Grecco/Agência Palmeiras

O meia Dudu comemora o título do Palmeiras no Brasileirão de 2016, no último dia 17 - Cesar Grecco/Agência Palmeiras

O meia Dudu comemora o título do Palmeiras no Brasileirão de 2016, no último dia 17

DANIEL CASTRO - Publicado em 12/12/2016, às 04h54

A Globo fechou na última sexta-feira (9) a venda das seis cotas de patrocínio das transmissões do futebol em 2017. No Jornal Nacional, festejou "o maior projeto de comercialização do mercado publicitário brasileiro". A emissora não revelou números no telejornal, mas vai faturar R$ 1,7 bilhão só com o futebol na TV aberta. Incluindo placas estáticas nos estádios, chegará a R$ 1,9 bilhão _ou quase toda a receita anual da Record, segunda maior rede do país.

Em outubro, a Globo lançou plano comercial pedindo R$ 283,5 milhões pelas cotas do futebol. O plano também oferecia as placas por R$ 28 milhões anuais. Desconsiderando-se as placas (já que nem todos os patrocinadores as compram) e comissões de agências, as seis cotas de patrocínio renderam R$ 1,701 bilhão.

O plano de comercialização assustou publicitários e anunciantes. Isso porque trouxe um aumento acima da inflação, de 14,5% sobre 2016. O aumento foi para compensar a exclusividade da transmissão na Globo.

Sem uma outra emissora dividindo os jogos, os patrocinadores da Globo não terão a concorrência de competidores do mesmo filão de mercado com o mesmo produto (futebol) no mesmo horário. E a Globo pôde compensar a receita que deixou de arrecadar vendendo o futebol, por exemplo, para a Band.

As negociações não foram fáceis, e dois dos patrocinadores não irão aparecer em 2017: Casas Bahia e BRF (Sadia). Os patrocinadores do ano que vem serão Itaú, Brahma, Chevrolet, Ricardo Eletro, Vivo e Johnson & Johnson. As marcas serão expostas em 95 rodadas de transmissões de campeonatos regionais, nacionais e intercontinentais, além do Jornal Nacional e de programas esportivos da emissora.

A Globo também fechou a comercialização da Fórmula 1 em 2017. Patrocinarão as corridas Santander, Itaipava, Tim, Renault, Unilever e Nestlé.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

House of Cards em maio

Kevin Spacey vive o presidente Frank Underwood em House of Cards, da Netflix - David Giesbrecht/Netflix Na mesma sexta-feira (20) em que Donald Trump tomou posse da Casa Branca, a Netflix anunciou a data de estreia da quinta temporada de House of Cards, que mostra os bastidores do jogo de poder ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

O que você espera do BBB 17?

Redes sociais

Últimas notícias