Nova Era

Ameaça da Netflix faz TV aberta dos EUA cortar comerciais no horário nobre

Divulgação/NBC

Os atores Milo Ventimiglia e Mandy Moore em cena da primeira temporada de This Is Us - Divulgação/NBC

Os atores Milo Ventimiglia e Mandy Moore em cena da primeira temporada de This Is Us

REDAÇÃO - Publicado em 01/03/2018, às 06h06

Em ação inédita, a rede NBC vai cortar o número de comerciais no horário nobre a partir do final deste ano, em uma resposta à mudança na maneira de ver televisão popularizada nos últimos anos pela Netflix. A decisão atinge todo o conglomerado NBCUniversal, que controla os canais USA Network, MSNBC, E! e Telemundo, além da NBC. Mais de 50 programas serão impactados pela medida, incluindo a série This Is Us, uma das maiores audiências dos EUA.

A ideia é reduzir em 20% o número de comerciais e em 10% o tempo ocupado por eles. A NBC e os canais do grupo repassarão as perdas para os preços dos anúncios, ou seja, não terão prejuízo.

A presidente de publicidade da NBCUniversal, Linda Yaccarino, admitiu para a revista Variety que o streaming influenciou diretamente na estratégia de reduzir anúncios da programação.

"Há cada vez mais consumidores que estão livres [da publicidade]. Reformular a veiculação de comerciais na TV aberta é algo inevitável", disse a executiva.

As maiores atrações produzidas sob o guarda-chuva do conglomerado sofrerão cortes nos comerciais. É o caso do reality show Keeping Up with the Kardashians (do canal E!), e o programa de Rachel Maddow (exibido pela MSNBC), líder de audiência na TV paga entre os jornalísticos.

Antes de dar esse passo ousado, a NBC fez uma experiência de dois anos com o humorístico Saturday Night Live, exibido nas noites de sábado. O corte de 30% no volume de publicidade, no entanto, indicou uma resposta positiva do mercado: o preço de um anúncio de 30 segundos subiu 25% e hoje é vendido por US$ 230 mil (R$ 745 mil).

Concorrentes da NBCUniversal também adotaram a política de corte de comerciais, mas ainda não se arriscaram a aplicar a medida no horário nobre e com o mesmo impacto. A Fox, rival direta da NBC na TV aberta, exibirá um episódio da animação Family Guy com menos comerciais do que o padrão, no próximo dia 11.

Já a Turner, desde 2016, escolheu o canal TruTV como cobaia para exibir nele programas mais longos e com menos comerciais. O próximo experimento deve ocorrer com as séries roteirizadas da TNT.

No ano passado, a Viacom também cortou propagandas de seus canais (MTV, BET). Porém, o plano não surtiu efeito, e as vendas chegaram a cair 2% no primeiro semestre.

Leia também

 

 

Enquete

Quem deve ter o pior final em Deus Salve o Rei?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook