Nada deselegante

Sandra Annenberg faz 15 anos de Jornal Hoje com autoafirmação: 'Rumo certo'

Reprodução/TV Globo

Sandra Annenberg na bancada do Jornal Hoje, que ela apresenta há 15 anos ininterruptos - Reprodução/TV Globo

Sandra Annenberg na bancada do Jornal Hoje, que ela apresenta há 15 anos ininterruptos

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 09/01/2018, às 06h14

A jornalista Sandra Annenberg completou 15 anos ininterruptos no Jornal Hoje longe da bancada: de férias, ela não apresentou a edição comemorativa. Mas nem por isso deixa de ter motivos para comemorar: é, de longe, a apresentadora que passou mais tempo no telejornal. Bicampeã do Melhores do Ano, ela finalmente fez cair a ficha de que encontrou seu caminho.

"É um momento de reconhecimento, de olhar para o que eu construí e pensar: 'Puxa, o trabalho está valendo a pena'. Não necessariamente porque eu ganhei o prêmio [de melhor jornalista na opinião do público do Domingão do Faustão], mas porque estou conseguindo chegar às pessoas, passar o recado, me comunicar. Estou naquela fase de achar que sim, estou seguindo o rumo certo", diz a apresentadora.

A autoafirmação do lado jornalista tem razão de ser, já que Sandra começou sua carreira na TV como atriz. Ela atuou em seriados como Tarcísio e Glória (1988) e na novela Cortina de Vidro (1990) até migrar de vez para o jornalismo.

"A transição foi acontecendo, não teve aquele momento de estalo. As coisas foram se encaminhando, eu fui mudando, percebi que não fazia mais parte daquele grupo [de atores] e que queria participar de outro grupo", lembra ela, que também se aventurou na comédia com a série Bronco, exibida na década de 1980 pela Band.

Na bancada, especialmente na do Hoje, Sandra se destaca por transmitir as informações de um jeito leve. Ela defende que isso é fundamental para conseguir trabalhar. "As notícias não são boas, não são fáceis. Se a gente as passa de uma forma desagradável de ouvir, fica impossível para quem está do outro lado. Eu sempre transmito a notícia da maneira que eu gostaria de recebê-la", resume.

Sandra, na verdade, estreou no telejornal da hora do almoço em março de 1998 (ou seja, há duas décadas), mas deixou o programa no ano seguinte e foi trabalhar como correspondente em Londres. Lá, participou da cobertura sobre a repercussão dos atentados às Torres Gêmeas, em 2001. Na volta ao Brasil, foi deslocada para o SPTV até reassumir sua cadeira no Hoje no início de janeiro de 2003.

Nesses 15 anos, dividiu a bancada com Carlos Nascimento, Evaristo Costa e, desde agosto, com Dony De Nuccio. A troca da elogiada dobradinha com Costa por Nuccio, até então desconhecido do grande público, não assustou a veterana.

"O Evaristo foi tocar o lado dele, escolheu um caminho e foi ser feliz assim. Eu me despedi dele e recebi de braços abertos o Dony, que é um grande companheiro,  preparado e que chegou com muita vontade. Isso é importante: como é um jornal feito em parceria, os dois apresentadores precisam estar muito a fim", valoriza.

De bem com a vida
Prestes a completar 50 anos, a apresentadora não tinge os cabelos e tem aparecido com alguns fios brancos na TV. Ela diz que não é vaidosa em excesso e que só gosta de se sentir bem. "Não passo maquiagem nem uso salto quando não estou trabalhando, faço exercício por uma questão de saúde. Sou bastante simples", conta.

A chegada do meio século de vida, em 5 de junho, será com muito trabalho. "Tenho paixão pelo que faço, quero continuar trabalhando. Ninguém está ficando mais jovem, a gente vai envelhecendo, mas eu tenho orgulho de estar na ativa", explica.

E, apesar da longevidade na bancada do JH, Sandra não esconde sua paixão pelo Como Será?, que comanda desde 2014, nas manhãs de sábado. "Eu considero o programa um oásis, é o que me alimenta e me dá um respiro no meio de toda a dureza do dia a dia, das notícias pesadas do Jornal Hoje", finaliza.

Leia também

 

 

Enquete

Quem deve ter o pior final em Deus Salve o Rei?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook