BALANÇO ANUAL

Olimpíada e NFL salvam TVs abertas dos EUA de vexame em audiência

Divulgação/COI

O nadador norte-americano Michael Phelps durante os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016 - Divulgação/COI

O nadador norte-americano Michael Phelps durante os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016

REDAÇÃO - Publicado em 17/05/2017, às 05h08

A temporada 2016-2017 caminha para o fim, no próximo dia 31, e o saldo não é nada positivo para as redes de TV aberta dos Estados Unidos. Somente duas, a NBC e a Fox, tiveram crescimento de audiência. E elas só melhoraram seus números porque exibiram grandes eventos esportivos, como os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (NBC) e o Super Bowl, a grande final da NFL (Fox).

Sem os esportes, as duas emissoras se juntariam às concorrentes ABC e CBS, que perderam público no horário nobre, das 20h às 23h, de acordo com dados da Nielsen (que mede a audiência  nos EUA) publicados pelo Wall Street Journal. A CW não entra na conta por não exibir competições esportivas.

A Fox foi quem mais se beneficiou com o esporte. O Super Bowl deste ano teve 113 milhões de telespectadores. Com a World Series, como é chamada a final da liga profissional de beisebol, foi sintonizada por 22,8 milhões de pessoas em cada um dos sete jogos, na média. Graças aos esportes, a Fox teve um aumento de 2% em audiência. Sem os jogos, a queda seria de 18%. 

A NBC oscilou 1% para cima com o conteúdo esportivo. Na apresentação da programação para a temporada 2017-2018, na última segunda, a emissora fez questão de lembrar aos anunciantes que vai exibir o próximo Super Bowl, o maior evento esportivo dos Estados Unidos. A meta é bater o recorde, conquistado pela própria NBC em 2015, de 114,4 milhões de telespectadores.

A CBS termina 2016-2017 na liderança geral de audiência na TV aberta, mas com uma temporada não tão produtiva nos esportes. Na comparação com o ano anterior, foi a única rede que perdeu público considerando-se os eventos esportivos, já que exibiu o Super Bowl em 2016.

Já a ABC foi salva de um vexame maior pelas partidas decisivas da NBA (liga profissional de basquete).

reprodução/wsj

Gráfico traz oscilação de audiência nos EUA com esporte (barra laranja) e sem esporte (cinza)

Muito dinheiro
Ano após ano, partidas esportivas dominam as primeiras posições do ranking das atrações televisivas mais vistas nos Estados Unidos. Isso leva a uma corrida para adquirir direitos de transmissão e gastar o quanto for necessário para atrair a atenção do público fã de esporte.

O acordo mais recente foi firmado pela TNT e ESPN pela exibição de partidas da NBA até a temporada 2024-2025. Os dois canais vão desembolsar em conjunto US$ 2,6 bilhões (R$ 8 bilhões) por ano, valor que se justifica. Um jogo da NBA na TNT dá o triplo de audiência de séries renomadas das rivais HBO (The Leftovers) e FX (Fargo).

As redes CBS, NBC e Fox têm contrato com a NFL até 2022. Juntas, elas pagam astronômicos US$ 3,1 bilhões (R$ 9,6 bilhões) por ano, e cada uma tem direito a exibir o Super Bowl com exclusividade de três em três anos, em esquema de revezamento.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Três É Demais

Jodie Sweetin (centro) como Stephanie em Fuller House, reboot de Três É Demais - Divulgação/Netflix A atriz Jodie Sweetin, que viveu a Stephanie na série Três É Demais (1987-1995) e repete a personagem em Fuller House, confessou nunca ter visto um episódio completo da atração em que atuou quando era ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Quem é seu jurado preferido do The Voice?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook
Click Click